Ações da CSN
R$ 8,96 | -4,06%
19:51h | 15.04.2014
Segunda-feira, 21 de abril de 2014
Bom dia, 9h17min
 

Policial Civil baleado em delegacia continua internado
Publicado em 17/12/2012, às 06h26
 
Última atualização em 18/12/2012, às 07h18

Honras militares: Deivid Fernandes da Silva Chan, policial militar morto em tiroteio, foi enterrado ontem no Cemitério Municipal de Barra Mansa

Resende/Itatiaia

O inspetor da Polícia Civil, Hermes Antônio Barcelos, de 37 anos, continua internado em estado regula no Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Emergência, em Resende.

Ele foi atingido no pescoço durante uma troca de tiros na noite de domingo (16), na 99ª Delegacia de Polícia, onde trabalhava no plantão de atendimento. O tiroteio iniciado pelo mecânico Luiz Antônio de Oliveira, de 43 anos, resultou também na morte do policial militar do 37º Batalhão da PM, sediado em Resende, Deivid Fernandes da Silva Chan, de 32 anos. Durante a confusão Luiz Antônio também foi morto.



Atirador disse ser policial civil, mas era foragido da justiça

Dicler de Mello e Souza

dicler.mello@diariodovale.com.br

 

O cabo da PM Deivid Fernandes da Silva Chan, 32 anos, morreu após ser baleado na noite de domingo no interior da 99ª DP, em Itatiaia, pelo foragido da Justiça Luiz Antônio de Oliveira, de 43 anos, que se passou por um policial civil. Ele acabou morrendo logo em seguida, também a tiros, pelo policial civil Wellington de Souza Fernandes e pela cabo-PM Luciana Furtado de Souza, do 37º BPM (Resende) - mesmo batalhão de Deivid. Os dois morreram no local.

O PM não foi a única vítima de Luiz Antônio: no mesmo dia, ele também atirou no policial civil Hermes Antônio Barcelos, de 37 anos, que está internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital de Emergência de Resende. Segundo a unidade hospitalar, seu estado é regular.

O tiroteio começou depois que Luiz Antônio - aparentando estar drogado - se envolveu em uma discussão de trânsito com um motorista da Viação Resendense enquanto dirigia um Luiz Antônio (foto) foi morto após entrar na delegacia e matar um policialOpala, placa KZT-3878, na Praça Campo Belo, no bairro Jardim Itatiaia.  Ele alvejou o ônibus, placa LPT-5847, mas o motorista, o cobrador e cerca de dez passageiros não ficaram feridos. Ao chegar à delegacia de Itatiaia, ele entregou um revólver calibre 38 a um policial civil que estava de plantão.

Luiz Antônio, porém, passou a discutir com Deivid Chan e sacou outro revólver - também calibre 38-, que estava em suas costas, e passou a atirar dentro da DP. O PM foi o primeiro a ser baleado. Na troca de tiros, Luiz Antônio foi atingido por Hermes, que estava no setor de plantão da 99ª DP.

O foragido da Justiça conseguiu balear o inspetor de polícia mesmo ferido. Luiz Antônio morreu no primeiro pavimento da delegacia, atingido por sete tiros. Havia muito sangue no local.

De acordo com o delegado titular da 89ª DP (Resende), João Dias - responsável pelos flagrantes durante o fim de semana na delegacia de Itatiaia -, Luiz Antônio chegou à delegacia se identificando como policial civil e entregou o revólver usado para alvejar o ônibus. 

- Ele começou a discutir com o PM Deivid e sacou um revólver que estava enfiado na parte de trás da calça. Ele matou primeiro o cabo e depois atingiu o inspetor Hermes, e foi morto em seguida - disse João Dias.

Ficha criminal

Ainda de acordo o delegado, Luiz Antônio possuía uma vasta lista de antecedentes criminais, sendo acusado de cinco homicídios. Ele também já havia cumprido pena por roubo e sequestro e era fugitivo do presídio João Carlos da Silva desde 21 de outubro de 2007, onde cumpria condenação por assassinato.

- Ele foi condenado a 20 anos e um mês de prisão por um assassinato em São Fidelis, na região Norte Fluminense, em 1995. No mesmo ano, Luiz Antônio também foi condenado a 21 anos de prisão por outro homicídio, em Itatiaia. Ele estava justamente cumprindo pena de um desses dois homicídios quando fugiu em 2007, e já havia cumprido pena por roubo e sequestro - explicou o policial.

João Dias disse desconhecer a denúncia de que Luiz Antônio teria sido abordado quando atirava no ônibus da Viação Resendense. Ele foi levado para a delegacia sem ter sido revistado pelos PMs por ter alegado ser policial civil.

O delegado mandou apreender seis armas (os revólveres encontrados com Luiz Antônio, a pistola da marca Taurus do cabo-PM Deivid Chan, a pistola da cabo-PM Luciana Furtado de Souza, e as pistolas de Wellington e Hermes). João Dias ainda indiciou a cabo-PM Luciana e o inspetor Wellington por homicídio. Segundo ele, será a Justiça que decidirá ou não se os dois atiraram em Luiz Antônio por legitima defesa. 

Sem falhas

João Dias acredita que não houve falha na segurança. De acordo com ele, haveria falha se todos os que estavam na delegacia fossem surpreendidos e mortos por Luiz Antônio.

O delegado titular da 99ª DP, Vicente Maximiliano, é quem vai comandar as investigações agora. O policial deverá ouvir os envolvidos no tiroteio e outras testemunhas, principalmente as que estavam no ônibus da Viação Resendense.

Deivid Chan foi sepultado na tarde de ontem no Cemitério Municipal de Barra Mansa. Ele deixa mulher, Andreza, de 28 anos, e um filho, de cinco, e morava com a família no bairro Vista Alegre.

Comandante do 37º BPM dá outra versão sobre o caso

O comandante do 37º Batalhão da PM (Resende), tenente-coronel Rogério Figueiredo de Lacerda, contou outra versão sobre o tiroteio na 99ª DP. O militar participou na tarde de ontem do sepultamento do cabo-PM Deivid Fernandes da Silva Chan, que foi sepultado com honras militares. 

Segundo o comandante, Deivid Chan e Luciana não foram ao local onde Luiz Antônio atirou contra o ônibus da Resendense. O militar explicou que os dois estavam na delegacia de Itatiaia registrando outra ocorrência.

- Quem se dirigiu à Praça Campo Belo foi outra equipe de PM, mas o motorista do ônibus já havia seguido com os passageiros para a delegacia, no Centro da cidade. Eles também não encontraram Luiz Antônio - disse Rogério.

O cabo Deivid foi abordado na delegacia por uma testemunha, que o informou que Luiz Antônio estava seguindo o ônibus em seu Opala. Ele então abordou o suspeito na entrada da delegacia.

 
Imprimir E-mail Share
 


* Nome: * E-mail:
Telefone:  
 
* Comentário:  
Declaro expressamente que li as Condições Gerais
e aceito seus termos de forma integral. 
 
   
Imprimir
E-mail
Saiba mais
 
Via Dutra
Um carro capota e faz duas vítimas em Itatiaia
 
Luto
Aos 87 anos, morre o escritor colombiano Gabriel García Márquez
 
Feriado
Paixão de Cristo será encenada hoje em Itatiaia
 
Itatiaia
Paixão de Cristo será encenada em Itatiaia nesta sexta-feira
 
93ª DP
Policiais encontram corpo em casa na Vila Brasília
 
Itatiaia
Arma é apreendida por agentes da Barreira Fiscal
 
Em Itatiaia
Prefeitura oferece vagas para Escolinha de Futebol e Voleibol Feminino
 
33º BPM
Menores são apreendidos por tráfico de drogas em Angra
 
Home | Cidade | Política | Polícia | Economia | Mosaico | Cartas | Esportes | Diarinho | Copa Diarinho | Social | Lazer | Circuito | Decoração | Viver Melhor | Caderno TV
Veículos | Educação | Nacional | Internacional | Vídeos | Edição Digital | Cultura | Flip | Classificados | Eu, Diário | Arquivo | Fale Conosco | Newsletter | Twitter | Pesquisar | Ciência e Tecnologia | Tempo Real
© 2013 - Diário do Vale. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. Termos de uso.