EDUCAÇÃO
Mais de mil estudantes são beneficiados por programas do governo
Publicado em 11/05/2013, às 17h7
 

Sul Fluminense

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e o Prouni (Programa Universidade para Todos) - principais programas do Ministério da Educação para estudantes de instituições particulares - atendem atualmente um total de 1.832 estudantes em três unidades, de Volta Redonda e Barra Mansa.

O Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) é, no momento, a instituição entre as duas cidades que mais beneficia estudantes com os dois programas do Ministério da Educação.

De acordo com Cézar Romero, secretário geral do UBM, são mais de 1 mil alunos atendidos. El explicou que são alunos, em sua maioria, oriundos de escola pública, com renda per capita em torno de até dois salários mínimos.

Com relação ao Prouni, César explica que cada instituição gera um determinado número de bolsas semestrais a serem ofertadas aos alunos inscritos, de acordo com a nota obtida no ENEM.

Já no Fies, cada instituição firma o termo de adesão semestralmente com um determinado limite financeiro, sendo que para os cursos de licenciatura, por incentivo do Governo Federal, não há limite. Os dois programas são destinados aos estudantes de baixa renda, porém o Prouni se destaca mais neste perfil por se tratar de bolsa de estudos.

O número de bolsas geradas para os estudantes do Prouni são definidas pelo próprio sistema do programa, de acordo com o número de alunos. No caso do UBM só são oferecidas bolsas de 100%. Já para a instituição, a participação nos programa gera benefícios como a isenção de impostos e o repasse de recursos.

Cézar também explicou que o Prouni oferece bolsas de estudos integrais e parciais aos alunos por meio do ENEM. Já o Fies é um financiamento da mensalidade dos cursos - de 50% a 100% com juros de 3,4% ao ano. O aluno tem até 18 meses após a conclusão do curso para iniciar o pagamento do programa, que pode ser parcelado em até 3 vezes o tempo de duração regular do curso. As inscrições para o Fies e para o Prouni estão disponíveis em seus respectivos sites.

- Não temos mecanismos de controle da inadimplência, uma vez que o pagamento é realizado junto aos bancos, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Por outro lado, o UBM também oferece aos alunos outro programa de financiamento além do Fies, o "Pra Valer". E também temos convênio com o Educa mais Brasil, que oferece bolsas parciais de 50% a partir das vagas remanescentes do Processo Seletivo - informou.

Unifoa oferece apenas incentivo do Fies


‘A maioria dos alunos beneficiados pelo Fies é para no curso de medicina’

Já no Unifoa (Centro Universitário de Volta Redonda), atualmente é utilizado apenas um programa do ministério da Educação: o Fies. Até abril deste ano, um total de 772 alunos é beneficiado pelo programa - o equivalente a 12% do total de alunos da instituição.

Segundo José Ivo de Souza, superintendente geral do Unifoa, entre os principais critérios usados para aceitar a participação no programa está a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) a partir de 2010. Além disso, é preciso que o comprometimento da renda familiar não ultrapasse 20% e a renda familiar bruta deve estar abaixo de 20 salários mínimos.

O percentual mínimo de financiamento é de 50% do valor da mensalidade, podendo também ser financiado em 75 ou 100%. O limite de alunos admitidos por semestre depende do limite financeiro liberado pela instituição. E este limite é em função do pagamento do fundo de garantia e do imposto de renda. A previsão é que até 2014 este número aumente.

- Atualmente a maior parte dos alunos é para no curso de medicina. Cerca de 275 alunos ou 43,4% dos inscritos no curso. Depois aparece odontologia com 78 alunos, equivalente a 22,2% do total, e engenharia mecânica com 99 alunos, o que equivale a 13% de todos os estudantes do o total do curso - informou.

De acordo com Ivo, a liberação para a inscrição é feita todo segundo mês de cada semestre, com isso dá chance não só para os alunos que já estudam, como para recém-inscritos.

- Hoje, vejo o Fies como um grande instrumento para o aluno se inscrever em um curso caro. Graças ao Fies, eles podem pagar depois de formados. É uma satisfação ver alunos de situação econômica inferior conseguirem se formar na instituição - esclareceu.  
 
UGB destina 60 vagas para os programas

No Centro Universitário Geraldo Di Biasi (UGB) são oferecidas em média 130 vagas para os três campi da instituição - Volta Redonda, Barra do Piraí e Nova Iguaçu. Para Luciana Melo, técnica administrativa do Fies e Prouni, o UGB entende que a prestação de serviço e a possibilidade de inclusão de alunos no ensino superior, por meio dos programas, é muito relevante.

No caso do Prouni, o programa concede uma bolsa de estudos integral para o curso todo.

Mas se o perfil econômico do estudante sair do exigido pelo programa, ele pode perde o incentivo. No Fies, o estudante paga durante o curso, a cada três meses, o valor máximo de R$ 50, referente aos juros incidentes sobre o financiamento. E após a conclusão, tem um período de carência de 18 meses para começar a pagar o financiamento.

- Com relação à inadimplência, ao contratar o Fies, o estudante se torna devedor junto ao governo e não à instituição. Assim, não temos informações sobre a inadimplência neste tipo de programa do governo Federal - concluiu.

Fies e Prouni


O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é destinado a financiar a graduação de estudantes matriculados em instituições não gratuitas. Podem recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação.

Já o Programa Universidade para Todos (Prouni) tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Ele oferece, em contrapartida, isenção de alguns tributos àquelas instituições de ensino que aderem ao Programa.


Alunos elogiam os programas do Ministério da Educação


Para o estudante Alan Botelho Santos Junior, aluno do sexto período do curso de direito da UBM, a opção pelo Fies foi em razão de não comprometer tanto o orçamento da família.

- Optei por este programa desde o primeiro período do curso e só vejo vantagem, pois vou poder pagar apenas 18 meses após terminar o curso - elogia.

Para um estudante do 10º período do curso de odontologia do Unifoa, Renan Trindade de Carvalho, a grande vantagem do Fies é a possibilidade de poder pagar depois.

- Há seis períodos que entrei no programa e hoje estou no décimo período. Antes participava de um programa de bolsa do Unifoa chamado "Pra Valer" e em razão dos juros mudei para o Fies. Além de poder pagar após 18 meses de formado, posso escolher o número de parcelas. Atualmente só é o pagamento de R$ 50 para cada trimestre. Acredito que se não fosse o Fies não estaria estudando medicina, agora estou trabalhando e até poderia arcar com este custo, mas quando adquirir o financiamento do Fies não trabalhava - informa.